segunda-feira, 9 de outubro de 2017

QUESTÕES COMENTADAS DE SERVIÇO SOCIAL: condições e mercado de trabalho do assistente social

       Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: TRT - 15ª Região



Nos espaços sócio-ocupacionais, o Assistente Social é portador de um projeto profissional enraizado no processo histórico e apoiado em valores radicalmente humanos. Nessa linha, o seu trabalho, deverá ser pautado por 


a) socializar as informações aos usuários, enquanto uma das atividades que estão sob sua responsabilidade, realizando meros repasses de dados sobre as normas e recursos legais.


b) ampliar as possibilidades de condução do trabalho no horizonte do projeto profissional utilizando-se de estratégias técnico- profissionais, sendo que as estratégias político-profissionais não devem compor o escopo de sua atuação profissional.


c) adotar posturas de colaboração e de consenso, substituindo práticas de confronto, que objetivem a incorporação de estratégias compreendidas como passivizadoras das lutas sociais presentes, esvaziando assim, o conteúdo político de demandas dos usuários, focando seu trabalho nas demandas sociais trazidas pelos mesmos.


d) adotar estratégias político-profissionais que ampliem bases de apoio no interior do espaço ocupacional e somem forças com segmentos organizados da sociedade civil, que se movem pelos mesmos princípios éticos e políticos.


e) preservar as análises unilaterais, que separam as relações sociais e suas contradições para o fortalecimento das leituras do trabalho com vieses fatalistas e messiânicos. 






Analisando a questão:
A - ERRADO. A atuação do assistente social  vai além de realizar meros repasses de dados aos usuários.
B – ERRADO. As estratégias político-profissionais também devem compor o escopo de sua atuação profissional.
C – ERRADO. Pelo contrário. O Serviço Social é chamado a fazer uma leitura crítica dessas iniciativas e a responder – ainda que se reconhecendo como atividade subordinada – a um conjunto de demandas do trabalho. É necessário que o assistente social tenha a capacidade de compreender a realidade, propor alternativas e negociar, junto às direções empresariais, no sentido, não de esvaziamento, mas de fortalecimento das demandas sociais trazidas pelo usuários .
D – CERTA.
E – ERRADO. Essas são posturas ultrapassadas e devem ser evitadas pelo assistente social no seu cotidiano profissional. A  postura fatalista desconsidera as contradições do sistema, das instituições e das próprias relações sociais, não sendo possível fazer nada para que seja modificado, e a postura messiânica subestimava o contexto social, as classes sociais, as organizações políticas, os movimentos sociais, os homens como sujeitos históricos, enfim, os limites da realidade social e do profissional.
Resposta: D



Nenhum comentário:

Postar um comentário