domingo, 26 de novembro de 2017

10 DICAS PARA ESTUDAR SOZINHO PARA CONCURSOS


   Estudar em casa pode ser uma opção interessante pra quem tem foco e disciplina e sabe aproveitar bem seu tempo disponível. Deixo aqui 10 dicas pra você que está iniciando esta jornada sozinho na busca de uma vaga em um concurso público!


1-      Tenha Disciplina


Estudar sozinho exige muita disciplina e autocontrole. Estipule um horário de estudo fixo que você poderá cumprir fielmente e sem distrações. Torne o estudo um hábito em sua rotina diária e respeite seus limites.

2-      Faça um cronograma de estudo

Um bom cronograma de estudos é fundamental para direcionar seus estudos. Adotar regras, como estudar duas disciplinas diariamente, é uma forma de não expor o corpo e a mente à exaustão. Dependendo do concurso pretendido, algumas matérias podem ser mais importantes que outras, e isso deve ser considerado na hora de fazer seu cronograma.  Estipule quantos assuntos de cada disciplina irá estudar durante os blocos de estudo, isso estimula a motivação e ajuda na organização. Não esqueça de deixar um espaço no cronograma para as revisões e a prática de exercícios.

3-      Estude com antecedência 

Um erro que deve ser evitado é deixar pra estudar só depois que o edital é publicado, pois o tempo fica mais curto, e alguma matéria acaba ficando incompleta, o que acaba colocando os concorrentes mais preparados em vantagem. Leia alguns editais de provas anteriores e já adiante seus estudos antes do edital definitivo ser divulgado.


4-      Escolha com cuidado o Material de estudo

Pesquisar bem o material antes de iniciar os estudos. Avalie se o que vai estudar é realmente importante e se condiz com o mesmo grau de dificuldade das provas de concursos anteriores. Verifique se o material está atualizado, principalmente as áreas relacionadas ao direito, pois estão em constante mudança. Leia os editais anteriores e verifique o conteúdo cobrado pela Banca Examinadora e selecione o material com base nos últimos editais

5-      Resolva muitas questões e faça simulados

Depois de estudadas as teorias, é importante que você faça questões relacionadas ao que acabou de estudar, isso vai te ajudar a fixar o conteúdo. Alguns sites possuem muitos exercícios desse gênero, como o caso do Rota dos Concursos e Questões de Concursos

Outra dica é simular a prova. Tente resolver a mesma quantidade de questões do seu concurso no tempo estipulado pelo edital. Quanto mais questões resolver, maior será a sua velocidade de resolução.

6-      Mantenha o foco

Não deixe que assuntos de casa e do trabalho o atrapalhem. Se não conseguir sossego em casa, vá para uma biblioteca ou para qualquer lugar mais tranquilo, que não te tire o foco. Internet somente após os estudos, desligue o celular e se desconecte das redes sociais. Quanto menos distrações estiverem presentes no ambiente, melhor. Quando você perceber que seus pensamentos estão errantes e dispersos, diga a si mesmo “Meu lugar é aqui agora” e leve sua atenção de volta para onde
você a quer que ela esteja. Com o tempo os pensamentos errantes serão cada vez menos frequentes.

7-      Maximize seu nível de energia

Quando o seu nível de energia é o mais alto? Quando são seus tempos de baixa energia? Estude quando estiver com sua carga energética mais elevada. Seu pensamento é mais nítido no início da manhã ou é mais tarde, à noite? Escolha as matérias difíceis para quando seu curso de pensamentos estiver mais limpo e sua carga de energia mais alta. As mais fáceis quando estiver com a energia um pouco mais baixa. Isso pode ajudar a aumentar a concentração durante os estudos.

8-      Tire um tempo para o Descanso

Sempre que possível, inclua horários de descanso durante os estudos, pois depois de um certo tempo, diminuímos a nossa capacidade de concentração. Estudos realizados há algumas décadas revelaram que o tempo de concentração e atenção nos estudos duravam em torno de 50 minutos (por isso das aulas na escola durarem esse  tempo). Atualmente, pesquisas mais recentes indicam que esse tempo caiu para 10 a 20 minutos. Entretanto, o tempo de concentração pode variar, dependendo do interesse  pela matéria, sua motivação interna para estudar esse assunto e seus conhecimentos prévios na área. Tudo isso tem uma relação com o tempo que se pode prestar a atenção. Há pessoas que ficam atentas durante 40 minutos porque estão altamente motivadas. Mas há outras que não têm tanto interesse, e perde a atenção em seguida. Então, reserve intervalos de descanso conforme a sua necessidade. Quando se sentir cansado, pare por alguns minutos, movimente-se um pouco, tome uma água, dê uma olhada na paisagem e retorne com força total.

O ideal é que você faça pausas constantes para que seu cérebro fixe melhor a informação, formando mais conexões neurais, ajudando a memorizar o que você está estudando. Mas cuidado! Ao fazer as pausas entre os estudos evite acessar internet e assistir TV, pois são poderosas distrações e vai fazer você passar mais tempo em pausa do que o normal.

9-      Mantenha sempre um pensamento positivo

Nunca pense que está em desvantagem por estudar sozinho, lembre-se que o seu sucesso é construído somente por você. Faça a sua parte, estude pra valer e se bater um desânimo, eu tenho uma dica excelente: pegue um contracheque do seu cargo pretendido, imprima e cole em um lugar que você visualizará todos os dias. Mentalize você já exercendo aquela profissão.

E pra fechar a última dica e a mais importante:

10-   Estabeleça Prioridade

Para alcançar o sucesso se faz necessário ter a atividade de estudo como prioritária. Tenha em mente que é preciso sacrificar algumas áreas da vida como lazer, festas com amigos e distrações para alcançar seus objetivos. Depois de concursado você terá a oportunidade de aproveitar a vida com mais tranquilidade junto da sua família e de seus amigos.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

DICAS DE ESTUDO E MATERIAL PARA CONCURSO NA ÁREA DA SAÚDE!

Se você está se preparando para realizar um concurso na área da saúde, saiba quais os principais livros e artigos cobrados em concurso.

Quando nos referimos aos principais autores de Serviço Social que abordam este tema, podemos citar :
  • Maria Inês Souza Bravo.
             Suas principais produções no tema são:


  • Saúde e Serviço Social no capitalismo - fundamentos sócio-históricos. Editora Cortez, 2013.


  • Serviço Social e Reforma Sanitária. Lutas sociais e práticas profissionais.Editora Cortez. 4ª Ed. 2011.

  • “Impactos da Crise Contemporânea na Seguridade Social: desafios postos aos assistentes sociais na saúde”.


  • "A Política de Saúde no Governo Lula: algumas reflexões". E "Participação Popular e Controle Social na Saúde" In: Revista INSCRITA. Brasília: CFESS , 2004. n.9.
        Disponível em:


  • Reforma Sanitária e Projeto Ético-Político do Serviço Social: Elementos para o Debate. In: Saúde e Serviço Social. São Paulo: Cortez; Rio de Janeiro: UERJ, 2004.

  • Questão da Saúde e Serviço Social: as práticas profissionais e as lutas no setor. Tese de Doutorado. Departamento de Serviço Social PUC/SP, 1991.

  • Política de Saúde no Brasil. Serviço Social e Saúde: Formação e Trabalho Profissional.



Outras obras e atores importantes:


  • Saúde e Serviço Social. Organizadores: Andréa de Sousa Gama, Gisele Lavinas Monnerat, Maria Inês Souza Bravo, Ana Maria de Vasconcelos. Editora Cortez, 5ª Edição.


  • Serviço Social e saúde - formação e trabalho profissional. Organizadores: Ana Elizabete Simões da Mota, Maria Inês Souza Bravo, Marlene Teixeira, Roberta Uchôa, Regina Maria Giffoni Marsiglia, Luciano Gomes.




  • Serviço Social ética e saúde - reflexões para o exercício profissional. Maurílio Castro de Matos. Editora Cortez, 2017.  




  • Saúde mental e Serviço Social - o desafio da subjetividade e da interdisciplinaridade. Eduardo Mourão Vasconcelos. Editora Cortez, 2001.   


  • Parâmetros de atuação de Assistentes Sociais na política de Saúde. CFESS, 2010. Disponível em:
http://www.cfess.org.br/arquivos/Parametros_para_a_Atuacao_de_Assistentes_Sociais_na_Saude.pdf                                                 


REVISTAS SERVIÇO SOCIAL E SOCIEDADE COM O TEMA SAÚDE


Revista Serviço Social & Sociedade 102: Serviço Social e Saúde: múltiplas dimensões.





Revista Serviço Social & Sociedade 107: Condições de trabalho: Saúde

Lei 8080 – LEI ORGÂNICA DO SUS ESQUEMATIZADA

O site Estratégia disponibiliza a Lei 8080 esquematizada, em pdf e também em áudio. Também é possível assistir as vídeo-aulas, tudo gratuitamente!
Segue o link:



Esses são os principais materiais que são cobrados em Concursos na área de Saúde! Mas você não precisa ter todos os livros pra ter um bom resultado!

Com os links que disponibilizo aqui você já terá material suficiente para estudar e formar uma boa base teórica para realizar sua prova!


Então, mãos à obra!

E não se esqueça de resolver muitas questões para ficar craque! Alterne sempre entre teoria e questões para fixar o conteúdo!

Bons estudos!



terça-feira, 10 de outubro de 2017

QUESTÕES COMENTADAS: SERVIÇO SOCIAL NA CONTEMPORANEIDADE


         Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: TRT - 5ª Região (BA)


O serviço social, enquanto profissão, insere-se na divisão sociotécnica do trabalho. Segundo Iamamoto (2005), a atuação profissional

a) responde, exclusivamente, às demandas do capital, pois não há saídas profissionais a este modelo econômico, não permitindo a possibilidade de fortalecer o capital e o trabalho na mediação do seu oposto.

b) supõe apreender a chamada prática profissional profundamente condicionada pelas relações entre Estado e Sociedade Civil, ou seja, pelas relações entre as classes na sociedade.

c) está deslocada deste contexto, pois as produções de conhecimento na área começam a mostrar a necessidade de não abordar o serviço social como trabalho.

d) deve permitir que os profissionais coloquem-se acima da contradição capital - trabalho, para que os usuários dos serviços a suspendam de seu cotidiano e busquem formas de superação de sua pobreza.

e) deve reforçar os direitos sociais, no entanto, estes não podem e não alteram o modo como as relações entre os indivíduos sociais se estruturam.


Analisando a questão:

a) ERRADO. Não responde exclusivamente às demandas do Capital. Iamamoto afirma que a atuação do assistente social responde tanto a demandas do capital como do trabalho e só pode fortalecer um ou outro pólo pela mediação de seu oposto.

b) CERTA.

c) ERRADO. Segundo Iamamoto, “a profissão de Serviço Social não está deslocada deste contexto, pois as produções de conhecimento na área começam a mostrar a necessidade de abordar o serviço social como trabalho e isso “[...] supõe apreender a chamada ‘prática profissional’ profundamente condicionada pelas relações entre Estado e Sociedade Civil, ou seja, pelas relações entre as classes na sociedade”.

d) ERRADO. Não é possível o profissional se colocar acima das contradições do sistema capitalista, pois a sua prática depende da apreensão da realidade social que decorre da contradição entre o capital e o trabalho; tampouco os usuários conseguem suspender essa contradição do seu cotidiano no âmbito dessas relações.

e) ERRADO.  À medida que o os direitos se realizam, alteram o modo como as relações entre os indivíduos sociais se estruturam, contribuindo na criação de novas formas de sociabilidade, em que o outro passa a ser reconhecido como sujeito de valores, de interesses, de demandas legítimas, passíveis de serem negociadas e acordadas. (Iamamoto, 2005).

Resposta: B

IAMAMOTO, Marilda Vilella. O serviço social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

QUESTÕES COMENTADAS DE SERVIÇO SOCIAL: condições e mercado de trabalho do assistente social

       Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: TRT - 15ª Região



Nos espaços sócio-ocupacionais, o Assistente Social é portador de um projeto profissional enraizado no processo histórico e apoiado em valores radicalmente humanos. Nessa linha, o seu trabalho, deverá ser pautado por 


a) socializar as informações aos usuários, enquanto uma das atividades que estão sob sua responsabilidade, realizando meros repasses de dados sobre as normas e recursos legais.


b) ampliar as possibilidades de condução do trabalho no horizonte do projeto profissional utilizando-se de estratégias técnico- profissionais, sendo que as estratégias político-profissionais não devem compor o escopo de sua atuação profissional.


c) adotar posturas de colaboração e de consenso, substituindo práticas de confronto, que objetivem a incorporação de estratégias compreendidas como passivizadoras das lutas sociais presentes, esvaziando assim, o conteúdo político de demandas dos usuários, focando seu trabalho nas demandas sociais trazidas pelos mesmos.


d) adotar estratégias político-profissionais que ampliem bases de apoio no interior do espaço ocupacional e somem forças com segmentos organizados da sociedade civil, que se movem pelos mesmos princípios éticos e políticos.


e) preservar as análises unilaterais, que separam as relações sociais e suas contradições para o fortalecimento das leituras do trabalho com vieses fatalistas e messiânicos. 






Analisando a questão:
A - ERRADO. A atuação do assistente social  vai além de realizar meros repasses de dados aos usuários.
B – ERRADO. As estratégias político-profissionais também devem compor o escopo de sua atuação profissional.
C – ERRADO. Pelo contrário. O Serviço Social é chamado a fazer uma leitura crítica dessas iniciativas e a responder – ainda que se reconhecendo como atividade subordinada – a um conjunto de demandas do trabalho. É necessário que o assistente social tenha a capacidade de compreender a realidade, propor alternativas e negociar, junto às direções empresariais, no sentido, não de esvaziamento, mas de fortalecimento das demandas sociais trazidas pelo usuários .
D – CERTA.
E – ERRADO. Essas são posturas ultrapassadas e devem ser evitadas pelo assistente social no seu cotidiano profissional. A  postura fatalista desconsidera as contradições do sistema, das instituições e das próprias relações sociais, não sendo possível fazer nada para que seja modificado, e a postura messiânica subestimava o contexto social, as classes sociais, as organizações políticas, os movimentos sociais, os homens como sujeitos históricos, enfim, os limites da realidade social e do profissional.
Resposta: D



domingo, 8 de outubro de 2017

QUESTÕES COMENTADAS DE SERVIÇO SOCIAL: SAÚDE




Olá! Vamos responder uma questão que está relacionando o tema saúde e fundamentos?






Ano: 2014 Banca: FCC Órgão: TRF - 3ª REGIÃO

Em referência à trajetória histórica da Política de Saúde e do Serviço Social no Brasil, considere as assertivas abaixo:

I. Embora a formação profissional tenha se pautado, desde o seu início, em disciplinas relacionadas à saúde, essa não foi a área que mais concentrou profissionais até meados da década de 40.

II. O projeto da Reforma Sanitária, instituído como bandeira para a política pública desde 1986, vem apresentando como demandas para os assistentes sociais: a prática educativa com intervenção normativa no modo de vida da população usuária, plantão, triagem ou seleção, encaminhamento, concessão de benefícios e orientação previdenciária.

III. Os assistentes sociais só foram absorvidos nos Centros de Saúde na década de 70.

IV. O trabalho profissional do assistente social na área da saúde orientou-se pela vertente modernizadora até o final da década de 70.

Está correto o que consta em 
a) I, II, III e IV.
b) II e III, apenas.
c) I, III e IV, apenas.
d) I e IV, apenas.
e) II, III e IV, apenas.


Analisando a questão:

Bravo afirma que a conjuntura de 30 a 45 caracteriza o surgimento da profissão no Brasil, com influência europeia e a área da saúde não foi a que concentrou maior quantitativo de profissionais, apesar de algumas Escolas terem surgido motivadas por demandas do setor. A formação profissional também se pautou, desde o seu início, em algumas disciplinas relacionadas à Saúde. Então, Item I correto.

O “novo” conceito de Saúde, elaborado em 1948, enfocando os aspectos biopsicossociais, determinou a requisição de outros profissionais para atuar no setor, entre eles o assistente social. Um dos desdobramentos desse conceito trazido de organismos internacionais foi a ênfase no trabalho em equipe multidisciplinar que permitiu: suprir a falta de profissionais com a utilização de pessoal auxiliar em diversos níveis; ampliar a abordagem em Saúde, introduzindo conteúdos preventivistas e educativos; e criar programas prioritários com segmentos da população, dada a inviabilidade de universalizar a atenção médica e social. O assistente social consolidou uma tarefa educativa com intervenção normativa no modo de vida da “clientela”, com relação aos hábitos de higiene e saúde, e atuou nos programas prioritários estabelecidos pelas normatizações da política de saúde. O assistente social vai atuar nos hospitais colocando-se entre a instituição e a população, a fim de viabilizar o acesso dos usuários aos serviços e benefícios. Para tanto, o profissional utiliza-se das seguintes ações: plantão, triagem ou seleção, encaminhamento, concessão de benefícios e orientação previdenciária. Item II incorreto. Essas características de atuação são anteriores ao Projeto de Reforma Sanitária.

Os centros de saúde contavam, para o desenvolvimento de suas atividades, com médicos, enfermeiras e visitadoras. Os assistentes sociais não foram absorvidos neste espaço senão muito mais tarde, em 1975. Item III correto

O Serviço Social na saúde vai receber as influências da modernização que se operou no âmbito das políticas sociais, sedimentando sua ação na prática curativa, principalmente na assistência médica previdenciária – maior empregador dos profissionais. Foram enfatizadas as técnicas de intervenção, a burocratização das atividades, a psicologização das relações sociais e a concessão de benefícios. Na distensão política, 1974-1979, o Serviço Social na saúde não se alterou, apesar do processo organizativo da categoria, do aparecimento de outras direções para a profissão, do aprofundamento teórico dos docentes e do movimento mais geral da sociedade. O trabalho profissional continuou orientado pela vertente “modernizadora”. As produções teóricas, apesar de restritas na área, também não romperam com essa direção. Item IV correto

Resposta: C

Referência bibliográfica
BRAVO, M. I. S.; MATOS, M. C. Projeto ético-político do Serviço Social e sua relação com a reforma sanitária: elementos para o debate. In: MOTA, A. E. et al. (Org.). Serviço Social e saúde: formação e trabalho profissional. São Paulo: Cortez, 2009, p. 197-217.


domingo, 1 de outubro de 2017

OS MELHORES LIVROS DE SERVIÇO SOCIAL PARA CONCURSOS

Cada vez mais os concursos públicos estão exigindo um domínio teórico dos principais autores de Serviço Social.

Pensando nisso, estou disponibilizando uma lista dos principais livros cobrados em concursos na área de Serviço Social.

Lembrem-se que:


  • O estudo por livros exige um planejamento de longo prazo;
  • Comece a estudar antes da publicação do seu edital;
  • Estudar vai muito além de ler, é preciso realizar um estudo ativo com produção de resumos, mapas mentais, esquemas;
  • Quando sair o edital, estude pelo material produzido e resolva várias questões para entender como a Banca examinadora cobra o  conteúdo.

Vamos às indicações:


  •   Relações Sociais e Serviço Social no Brasil: esboço de uma interpretação histórico-metodológica: Raul de Carvalho e Marilda Villela Iamamoto. Este livro examina aspectos históricos e teóricos das atividades das instituições e dos profissionais do Serviço Social, procurando revelar aspectos das relações sociais. Traz uma proposta de Interpretação Histórico-Metodológica; a Concepção Teórica da Reprodução das Relações Sociais; O Serviço Social no Processo de Reprodução das Relações Sociais; Os Aspectos da História do Serviço Social no Brasil entre 1930 e 1960; A Questão Social nas Décadas de 1920-1930 e as Bases para a Implantação do Serviço Social;



  • Serviço Social na Contemporaneidade: Esse livro de Marilda Vilella Iamamoto, é um clássico do Serviço Social, trata sobre os impactos sobre o Serviço Social, referente às transformações societárias em curso e as alternativas para a formação dos assistentes sociais. Trata principalmente das mudanças no mercado profissional de trabalho na década de 80 e 90, o redimensionamento da profissão frente às transformações societárias recentes e a formação profissional na contemporaneidade.





  • Ditadura e Serviço SocialEsse livro de José Paulo Netto, com uma linguagem bem elaborada, aborda sobre o vínculo entre a autocracia burguesa e a renovação do Serviço Social, a erosão e deslegitimação do Serviço Social tradicional e traz as três principais vertentes de renovação (Perspectiva Modernizadora, Perspectiva de Reatualização do conservadorismo e Intenção de Ruptura) . Trata também sobre a reorganização do Estado, as modificações na sociedade e os impactos sobre a prática e a formação profissional.  
  • Serviço Social no Tempo de Capital Fetiche: Esse livro da Marilda de Vilella Iamamoto  faz uma análise completa da profissão no processo de (re)produção das relações sociais no movimento global do capital. A autora Marilda Iamamoto faz um apanhado sobre as particularidades atribuídas ao Serviço Social na divisão social e técnica do trabalho e suas implicações para a interpretação e condução do trabalho do Assistente Social na atualidade, assim como a natureza da profissão e o significado social de seu exercício no processo de produção e reprodução das relações sociais: teses, fontes teóricas e conseqüência, fazendo uma interlocução crítica com a literatura profissional brasileira referente aos fundamentos ao exercício do profissional do Serviço Social nos anos 80 e 90 e anos 2000.



  • Política Social: Fundamentos Históricos: Elaine Behring e Ivanete Boschetti. O livro é uma excelente introdução teórica e histórica ao tema Política Social. Tem como destaque a gênese e o desdobramento da Política Social nos países capitalistas e no cenário brasileiro. As autoras tratam a Política Social enquanto um processo inscrito na história e traça o caminho percorrido pela Política Social com base nas perspectivas metodológicas do funcionalismo, do Idealismo e da Tradição Marxista. Também aborda sobre o Keynesianismo-fordismo, Welfare State e a política social no Neoliberalismo.



  • Adeus ao Trabalho? Ensaio sobre as metamorfose e a centralidade no mundo do trabalho: Ricardo Antunes. Esse livro nos oferece uma análise minuciosa das transformações que atingem hoje em dia a realidade do trabalho. Na primeira parte aborda sobre fordismo, toyotismo, acumulação flexível e as metamorfoses no mundo do trabalho. Na segunda parte trata sobre reestruturação produtiva, crise contemporânea e os desafios atuais.



  • Estado, Classe e movimento Social. Carlos Montaño e Maria Lúcia Duriguetto traz uma análise conceitual sobre Estado e Sociedade Civil, e a categoria  Classe Social e sua complexidade, atrelada à relação Capital e trabalho, à consciência e a luta de classes. Também abordam sobre a formação do Estado Moderno e o seu desenvolvimento e o Modo de Produção Capitalista. Na ultima parte debruça-se sobre o tema Movimentos Sociais, Os Novos Movimentos Sociais e o chamado Terceiro Setor.


  • Instrumentalidade no Trabalho do Assistente Social: Iolanda Guerra Este livro tem se consolidado como um clássico no debate da profissão. Nele, a autora questiona a visão hegemônica da instrumentalidade como referida aos instrumentos operativos, compreensão atrelada aos limites de uma razão formal abstrata.



  • Ética e Serviço Social: fundamentos ontológicos: Maria Lúcia Silva Barroco traz um dos temas mais cobrados em concurso, com a leitura desse livro você aprenderá sobre nosso projeto ético político, sobre o código de ética e sobre suas respectivas importância ao Serviço Social.



  • Código de Ética do/a assistente social comentado. CFESS. Este livro traz os fundamentos e valores dos Códigos de ética de 1947-1986 e comenta o 'Código de Ética' em vigor, de 1993, na sua totalidade. As autoras se propõem comentar o Código em seus fundamentos sócio-históricos e ontológicos, bem como em suas possibilidades de materialização, no contexto de uma sociabilidade fundada na acumulação e na propriedade privada.



  • O Estudo Social em perícias, laudos e pareceres técnicos. O CFESS, em parceria com a Cortez Editora, traz instigantes reflexões que envolvem a elaboração de perícias, laudos e pareceres técnicos, tendo sido assunto muito cobrado nas mais recentes provas de concurso de Serviço Social.



  • Planejamento social: intencionalidade e instrumentação. Myrian Veras Baptista. Trata do planejamento como processo técnico-político, abordando seus elementos constitutivos - construção do objeto, estudo de situação, identificação de prioridades, definição de objetivos, estabelecimento de alternativas, planificação, implementação, implantação, controle, avaliação e retomada do processo. Nesse contexto, analisa a trajetória para tomada de decisões, suas técnicas e instrumentos, oferecendo conteúdos subsidiários a uma prática metodologicamente conduzida e tecnicamente consistente.



  • Serviço Social: Direitos Sociais e Competências Profissionais.  Trata-se de  uma coletânea de artigos do curso de especialização latu senso oferecido pelo CFESS em 2009, com diversos temas e conteúdos recorrentes nas questões de prova de Serviço Social. Esta obra não se encontra disponível para venda, porém pode ser adquirida em PDF pela internet.

 Assista os vídeos no Yotube:


Bons estudos!